Início > 1 > A ARGH!entina agoniza… fora Maradona!

A ARGH!entina agoniza… fora Maradona!

Talvez nem todos que acompanham este blog saibam, porém este jornalista que vos escreve admira e torce pela seleção argentina. Mas, devido a este “ótimo” momento vivido pela seleção albiceleste, escrevo este post para comentar o atual estado.

É impossível se conformar com o comando de Don Diego Armando Maradona. Com todo o respeito que a nação vizinha tem pelo ídolo, Maradona está longe de ser um José Pekerman, um Alfio Basile ou simplesmente um “Loco” Bielsa…

Falta padrão tático, falta comando… explico: Messi, por diversas vezes, no desespero e ciente de seu talento, assumiu o controle da bola e procurou rememorar ao comandante os golaçõs driblando toda uma equipe adversária! Impossível quando o adversário é um Brasil!!! E Maradona se cala, nenhuma repreensão ao “dono do time”…

Maradona

Sebá Dominguez na zaga é como escalar o Danilo do Palmeiras para a seleção nacional… trata-se de um jogador mediano, nem espetacular nem grosso, mas indigno de vestir a camisa mais importante do país!

Verón é sim um jogador espetacular pela idade que tem, pois voltou a seu país e conduziu praticamente sozinho o Estudiantes a um título nacional e uma Libertadores, porém não pode ser o carregador de piano da seleção.

Palermo: Aqui já me refiro à partida contra o Paraguai. A seleção perdia por 1 a 0, fora de casa, com um jogador a menos e o salvador Martín Palermo, jogador do Boca Juniors, time de coração de Maradona, diga-se de passagem. Um jogador considerado trombador, mas sem talento para ser o salvador!

Schiavi: Essa é a mais ridícula. A equipe perdendo e precisando do gol (com o perdão da redundância), Maradona abre mão de um de seus atacantes mais brilhantes, Sérgio Aguero, e coloca o zagueirão (pelo tamanho, não pela habilidade) como  solução. Um zagueiro para uma equipe que precisa vencer!!! Absurdo…

Padrão tático: Contra o Brasil, jogando em casa, Maradona escala o zagueiro polivalente Heinze na lateral esquerda. Contra o Paraguai, fora de casa, o ofensivo Emiliano Papa, do Velez Sarsfield ganha uma oportunidade. Incoerência ou jogada de mestre???

brasil_x_argentina

Após análises, concluo que Maradona é um ídolo no país, mas é impossível mantê-lo no cargo com tantos erros absurdos que podem colocar em risco não a classificação da Argentina, mas a honra, garra, raça e amor a camisa, palavras que faziam parte do cotidiano do futebol quando se referia à seleção hermana e hoje fazem parte do folclore!

Sugestão: José Pekerman, Carlos Bianchi, Simeone… nomes existem, falta coragem para fazê-lo!

PS: Quase me esqueço! A mudança do jogo do Monumental de Nuñez para o Gigante de Rosário, no jogo contra o Brasil, não se deve ao caldeirão que seria o estádio, como se tem dito por aí. Por coincidência, o Monumental, palco de exibições brilhantes da Argentina contra o Brasil como o 3 a 1 com show de Riquelme nas eliminatórias para a Copa de 2006, é de propriedade do River Plate, rival do clube de coração da Maradona! Só isso…

Categorias:1
  1. 24/09/2009 às 00:57

    Orra o melhor jogador da história está indo mal como técnico da seleção Argentina. Mas com ele no comando a Argentina será campeã da próxima copa.

    Da lhe Argentina!!!

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: