Arquivo

Archive for outubro \26\UTC 2009

MOS DEF no Brasil em Dezembro!

O blog Per Raps (http://perraps.wordpress.com/) confirma a notícia de que o rapper Mos Def, tambem conhecido como Travelling Man (rs) estará presente no Indie Hip-Hop 2009, evento que já trouxe grandes nomes do Rap como Talib Kweli, Jurassic 5 e De La Soul ao Sesc Santo André.

O Festival acontece nos dias 4, 5 e 6 de Dezembro.

Pra quem curte a cena underground, prato cheio!

mos-def2

“I’m travelling man, movin through places, space and time

Gotta lotta things I got to do / But God willin’ I’m comin back to you

Baby boo / I’m leeeeavin”

Categorias:1

Nasce um mito no RAP… Nasce nada, o cara tá na cena faz tempo!

Há tempos atrás postei sobre a mixtape de um cara chamado Leandro, mas conhecido pelo vulgo E.M.I.C.I.D.A.

Emicida tinha tudo para ser mais um na cena do Rap Nacional… de origem humilde, buscava seu espaço no Rap e começou nas batalhas de freestyle do Santa Cruz. Corajoso, se jogou nos campeonatos de rimas como a Rinha dos MCs, Humaitá pra Peixe até chegar à Liga dos MCs.

Com seu talento, criatividade e rimas diferenciadas de tudo o que se vê por aí, as oportunidades começaram a surgir. E então, justamente aí,  surgiu a diferença de Emicida para milhares de MCs ou pseudoMcs que tentam a sorte no submundo do Rap.

Um monte de gente começou a “crescer o olho” no morador da Cachoeira, bairro da zona norte de São Paulo. E Emicida não se vendeu!

Pagou um preço alto por isso, né? Pagou sim, hoje o cara é reconhecido, manteve a humildade, cresce em talento a cada dia e virou inspiração para vários MCs que seguem pelo ideal, não pelo dinheiro no Rap.

Emicida

O cara é tão idealista que fez questão de fazer sua primeira mixtape artesanalmente: cortou molde por molde para fazer a capinha de papelão, gravou os cds e foi pra rua! Já devo estar atrasado, mas até a última informação que tive, já havia passado das 3 mil cópias sem gravadora e distribuidora.

Aliás, sua maior distribuição foi o boca-a-boca! Eu tenho a minha e só não furo o cd de tanto ouvir porque passei pro meu decadente MP4 e não tem como furar formato virtual de música. Já é trilha sonora de minhas andanças nas ruas.

Com rimas da melhor qualidade, Emicida tornou-se um ícone do Rap na cena atual, que encontra-se carentes de bons nomes no mainstream, mas que tem encontrado excelentes valores no underground como Kamau, Emicida, Contrafluxo, Elo da Corrente, Flora Matos, entre outros.

Quer conferir o trampo do cara? É, na MTV ele já está, já passou pela Cultura, seus cds já chegaram na Venezuela e no Chile (segundo informações do mesmo em seu twitter – http://www.twitter.com/emicida)… Quem quiser aproveitar, que corra, pq talento há de sobra, mas falta espaço na agenda já…

emicida1

Já vi, recomento e irei de novo sempre que tiver oportunidade. Não tem oportunidade? Então confira o amor à causa (o Rap) nesse link do You Tube, música feita em homenagem ao finado DJ Primo e entenda porque o cara é um dos verdadeiros representantes do verdadeiro sentido do Rap (desculpem a repetição!)

Parabéns pelo trampo Emicida! 100 palavras para o resgate do Rap que nomes como o seu, Kamau, Contrafluxo e outros tem feito!

Categorias:1

Pararam com a paradinha… e com ela se vão minhas risadas nos jogos!

O anúncio do presidente da Fifa, Joseph S. Blatter, que acabará com a paradinha acendeu um debate curioso em casa. Meu pai defensor ferrenho do extermínio dessa prática “covarde”, segundo ele. Eu, partidário desse momento cômico do futebol.

Blatter

Covardia, nas palavras de Danilo Pai porque o goleiro fica sem alternativas, já que o pênalti já coloca o jogador em vantagem com relação ao arqueiro.

Cômico, nas palavras deste que escreve, porque eu literalmente me racho de tanto rir, como se estivesse vendo o filme dos Simpsons, ao ver o goleiro se esborrachar no chão e o chutador tocar para o gol vazio.

600--paradinha

A paradinha tem suas variações e em minha memória de 23 anos, lembro do início com o extremamente habilidoso Djalminha tocando levemente a bola enquanto os arqueiros pulavam como loucos nos cantos.

Depois chegou na classe de Marcelinho Carioca, maior jogador da história do Corinthians em minha opinião, fazendo a bola rastejar para o gol no Campeonato Brasileiro de 1998.

Por último, o melhor que vi, já na época mais contemporânea (melhor dizer dias de hoje), André Bahia, do Atlético-PR, que literalmente chutava o chão e fazia os goleiros deitarem junto à trave antes de empurrar para as redes.

Mas também é inegável o quão emocionante e legal ver o cara errar mesmo depois de derrubar o goleiro com o chute enganoso.

Independente das variações, risos ou covardias, Blatter deve ter dado ouvidos aos argumentos de meu pai e propôs o fim de meus momentos de gargalhadas no futebol.

Lamento… enquanto outros comemoram!

PS: Desculpem aos que esperavam um post sobre as Olimpíadas no Rio em 2016, mas sou sistemático e sigo ordens que eu mesmo faço. E a paradinha já estava na fila… daqui a alguns dias, quando todos tiverem falado (acho que no ano que vem param de falar), escrevo…

Calma, não vai demorar tanto! Daqui uns dias…

Categorias:1

Entrevista M.A.M.U.T.I – Parte 2 de 3

Qual a melhor música do RAP nacional pra vc? Pq?

Aí cê me ferra (risos). Fica difícil, eu sou um assumido amante do rap nacional, escolher uma fica difícil.

No momento eu vou falar 2 que eu to ouvindo todo dia:

– Racionais MC’s – A Vida é desafio

– Emicida – Hey Rap (esse som da mixtape dele é loka… o beat do Dário se não me engano… é loko… a letra é loka… sem comentário)

Qual a melhor música do RAP gringo pra vc? Pq?

A melhor música do rap gringo. No ritmo que eu ando ultimamente:

– Serviço Publico – Valete

Decepção no RAP é?

Decepção no rap é talento desperdiçado, público disperso, evento mal organizado, falta de profissionalismo. É ver os meus irmãos aceitarem menos do que a gente merece, é ver que a gente muitas vezes não tem o espaço que merece, a estrutura que merece, mas a maior decepção no rap é só reclamar e não fazer nada pra mudar.

MamutiSe preparando para a guerra… do freestyle!

Motivação no RAP é?

Pra mim, a motivação no rap é ver os caras conquistando o que queriam, ver as pessoas ouvindo um som e aderindo uma idéia boa.

Me motiva ver os moleques falando sobre coisas boas porque ouviram em um rap que era possível, gente que se sente motivada a correr pelos ideais. É muito louco ver alguém se sentindo bem após um show, um vídeo ou um CD. O brilho nos olhos dos que tão a um tempo, o brilho nos olhos dos que tão chegando… isso é motivação.

Qual seu objetivo no RAP?

Meu objetivo é levar essa parada adiante. Eu não vou falar: “Aaaah, eu só quero fazer meu som e ser feliz”. Eu quero fazer meu som, quero que o rap se torne auto sustentável, quero ganhar dinheiro com isso, quero ver meus irmãos ganhando dinheiro com isso, sem precisar mudar as idéias, sem precisar vender os ideais. Acho que o que resume é: meu objetivo é ser mais…

O que o RAP será amanhã para você? Como você enxerga o RAP no futuro?

Cara, eu não enxergo o rap no futuro. Eu só espero que seja muito melhor assim como eu falei na pergunta acima, auto sustentável… Aliás eu não só espero, eu estou correndo por isso. Mas se eu fosse imaginar um cenário futuro com base no que temos hoje, sinceramente eu não esperaria muito mais do que já temos, pois eu vejo muito cara parado pondo obstáculos em pedestais.

SujoSimpson (MG), Mamuti (SP), Kamau (SP), Maomé (RJ)… parceiros de mic na caminhada do flow!

O que tem que mudar hoje?

Hoje o que precisamos é de mais vontade. Dos Mcs (por que não de mim também?), vontade dos DJs, dos promotores de festa, dos comunicadores e principalmente do público. Ultimamente estou vendo nos shows muitos Mcs na platéia… e a platéia, cadê?

Creio que esteja mudando aos poucos, mas ainda tá faltando.

Que personagem te influenciou em sua vida?

Em geral, o personagem que influenciou em toda minha vida foi minha mãe, não só por ela ser minha mãe, mas por tudo que ela passou, pelo que ela me ensinou, pelos conselhos de mãe, de amiga, de profissional.

Família é…

Família em primeiro lugar é o que hááááá… família é base, é porto seguro, é inspiração, é vida.

Parceiros são…

A outra parte do alicerce, o apoio, os aliados na guerra, a família que a gente escolhe.

O RAP é…

Além da música das ruas, expressão dos excluídos e tudo aquilo que a gente já ta acostumado a ouvir, é forte! É minha vida!

Categorias:1