Início > Sem categoria > Rashid fala sobre o EP Hora de Acordar

Rashid fala sobre o EP Hora de Acordar

Lançado no dia 31 de março, este blogueiro teve que aguardar ansiosamente quase uma semana para receber sua cópia do EP Hora de Acordar, do MC Rashid, um dos nomes mais promissores da cena atual do RAP Nacional.

Capa do EP Hora de Acordar... eu já tenho o meu!

Após escutas e muitas análises (pois é, eu não ouço RAP, estudo RAP!), fiz algumas perguntas a Rashid e abaixo estão as respostas desse brilhante MC. Espero que curtam, principalmente a mensagem que Rashid passa.

Blogdobarra: É hora de quem acordar? Você ou o Rap?

Rashid: Hora de todos nós acordarmos irmão, hora de levantar de nossos leitos confortáveis e fazer algo acontecer de verdade em nossas vidas, escrever uma nova história. Isso dentro e fora do Rap. Eu acordei e agora tô tentando acordar meus iguais.

Curiosidade. A voz de uma criança aparece no início da música abre do cd. O que a voz fala e qual o significado da presença de uma criança no contexto da ideia que quer passar?

Na verdade, a voz da criança diz “Luiz Café”… é a marca do produtor e engenheiro de som que ajudou a tornar possível esse projeto.

A voz de uma criança seria muito importante ali, no fundamento do disco, ‘Hora de Acordar’. As crianças são o futuro disso aqui, temos que saber educá-las da forma que escolham o caminho certo quando chegar a hora certa, com pureza e visão.

Minha música tenta passar um pouco disso aos ouvintes, quando vejo crianças nos shows de RAP, sempre dou um CD de presente pra elas… no intuito de plantar a semente mesmo e se ela gostar, significa que estamos no caminho certo, porque as crianças são sinceras.

Você rima: “A voz do Brasil nunca teve tão quieta / Trabalhamos sem considerar um sonho ou uma meta” em Hora de Acordar. Você acha que o Rap tem trabalhado sem objetivo?

O RAP não, acho que o Brasil tem caminhado sem objetivo. Uma parte do RAP também caminha sem objetivo, mas temos muitos artistas de qualidade no momento, nos quais eu acredito muito. Sem falar nos nomes de destaque que desde sempre mantiveram o RAP na direção certa.

Já o Brasil, é um país que sempre trabalhou muito, uma fábrica que não para. E essa engrenagem tem rodado cada vez mais rápido, ao ponto de não termos mais tempo de considerar as opções, de termos medo de considerar nossos sonhos ou metas.

Rashid mandando versos

“E se” o Rashid recebesse a proposta de uma gravadora hoje para divulgação de seu trabalho, como reagiria? Por quê?

Sei lá irmão, minha cabeça no momento diz que eu não preciso disso pra crescer. Consegui chegar em alguns lugares mais rápido do que eu imaginava, graças ao EP. E temos exemplos muito próximos de que não é uma gravadora que leva alguém adiante, pelo menos dentro do RAP. Acredito nisso se for minha própria gravadora, meu próprio selo de gravação e distribuição, que é mais ou menos como tem acontecido.

E se você tiver errado no seu caminho no RAP?

O tempo vai dizer…

Qual dos “E ses” é o mais fundamental para a sua chegada até aqui no RAP?

“E se não for ilusão, e se você desistir e perder a chance de ter tudo na sua mão?!”

Na sua visão, como está a proporção de MCs que levam o RAP a sério e os que tratam o RAP como brincadeira?

Acho que a porcentagem dos que levam como brincadeira é bem maior, mas a parte dos que levam a sério, leva a sério de verdade e tem mostrado do que o RAP é capaz.

Rashid está “Pronto pro poder”?

Depende. De que tipo de poder você está falando?

Nessa música eu falo de dinheiro, falo sobre a maioria das pessoas se sentirem prontas pro dinheiro quando na verdade não estão, a grana acaba virando a cabeça delas.

Você pensa em ganhar dinheiro no RAP? Isso é possível no Brasil?

Penso em ganhar dinheiro porque a gente se dedica 24 horas por dia e essa tem sido nossa única fonte de renda no momento. Mas o dinheiro não é minha prioridade, nunca foi. Minha prioridade é a música, a qualidade, o conteúdo. A grana é consequência do trabalho e temos trabalhado muito por aqui.

Quando algum dinheiro chega, nos programamos pra investir ele e, de repente, montar um estúdio, comprar uma van pra levar a equipe, ter toda a estrutura necessária girando em volta da música.

Curiosidade II. Qual o significado da rima “A noite é uma criança. Não! É uma puta de chocolate”?

Quis dizer que as pessoas acham que a noite é uma criança, quando na verdade ela é duas vezes mais sedutora do que parece. E é onde vagabundo se perde, se lambuza. Por isso falo: “Você é a única criança por aqui”. Você pode ser o mais inocente ali naquele meio.

Alessandro Buzo, escritor de literatura marginal, e Rashid

Bilhete é uma história real?

Sim, aconteceu há algum tempo atrás (sic).

Fale sobre a história da música Por Quanto Tempo.

Essa música é um retrato da condição que eu vivi por muito tempo, com pais separados, passei muitos anos mudando de casa, de bairro e cidade. Consequentemente, perdendo amigos. Acredito que isso construiu meu caráter, então serviu pra alguma coisa, mais não posso dizer que foi bom.

Linhas inimigas é uma música que fala sobre a garra e a raiva necessária para estar em uma guerra. Qual é a guerra que o Rashid enfrenta?

A guerra na rua mesmo, o jogo, violência, crime, mentira, tudo isso. Estamos na função de ‘pastores’ até, tentando salvar vidas, direcionar mentes. Não que sejamos os donos da verdade, mas nossa mensagem é relevante. O resgate dos sentimentos, da união, tentando quebrar a frieza e o abismo que o mundo criou entre um ser humano e outro. Essa é a guerra.

Na minha opinião, a melhor do cd, Acendam as Luzes. Pela produção, rimas e participação do mestre Marechal. O acender das luzes para o seu trabalho e para sua “firma” é o seu objetivo ou há mais planejamento depois disso?

Isso também, mas os planos vão muito além disso. Essa música diz que a gente deve valorizar nossas conquistas, que tudo o que fizemos é importante, mas ainda vamos fazer mais, temos força pra isso. E é esse pensamento que eu quero plantar na cabeça das pessoas.

O que pode atrapalhar a caminhada de quem tenta chegar no acender das luzes no RAP?

Acho que a maior barreira é a falta de fé em si mesmo, esse é o que mais pode atrapalhar. Depois vem a preguiça, o ego… Mas a fé no seu potencial é o que vai dizer se você vai abrir o Mar Vermelho ou não.

Qual é a sua meta com o EP Hora de Acordar?

Minha meta é chegar ao maior número de pessoas possíveis, introduzir meu nome no RAP e mostrar que tenho algo a dizer. Já estou preparando uma parada nova, mas os trabalhos que virão só vão mostrar minha cara de verdade, minha identidade musical. “Hora de Acordar” é o primeiro passo, é a porta começando a se abrir. E agora, mais do que nunca, eu preciso ter fé e manter o pé no chão pra saber trilhar esse caminho.

Há trabalhos/composições novas vindo por aí?

Sim, sempre. Temos que continuar girando. Tenho algumas músicas que não foram pro EP que quero distribuir na net e há novas músicas sendo trabalhadas para um novo projeto, que deve sair em breve.

Esse é o ritmo, não sei como estarei amanhã, se estarei vivo, então tenho que aproveitar enquanto tenho tempo pra passar o que sinto que devo passar pras pessoas.

Quem você queria que visse seu EP acontecer e não está aqui para isso?

Pessoas fundamentais pra que ele acontecesse, alguns familiares meus que perdi durante o processo de produção. Mas a mensagem que eles deixaram pra mim estou passando adiante. Estou trabalhando pra fazer jus a força que eles me deram.

Agradeço o apoio irmão.

Um só caminho…

Foco na missão…

Categorias:Sem categoria
  1. Naédio ( NaTo )
    11/06/2010 às 16:54

    Entre cada historia , de irmãos do Rap essa é mais um exemplo !
    Curti muito essa entrevista , pode parecer besta isso que vou falar mais gostei muito quando ele falou isso :
    Você pensa em ganhar dinheiro no RAP? Isso é possível no Brasil?

    Penso em ganhar dinheiro porque a gente se dedica 24 horas por dia e essa tem sido nossa única fonte de renda no momento. “Mas o dinheiro não é minha prioridade, nunca foi. Minha prioridade é a música, a qualidade, o conteúdo. A grana é consequência do trabalho e temos trabalhado muito por aqui”.
    independente daquilo que faz , mais faz por amor !!!!

    Muito loka essa entrevista , já escutei o cd de trás pra frente no momento só estou escutando G5 e Rashid !

    Mais é isso ai Rap na VEIA !!!!!

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: