Início > Textos > Protestos, motivos e resultados…

Protestos, motivos e resultados…

Há algumas semanas, comentei neste blog sobre a reivindicação dos estudantes chilenos pela reforma estudantil, que já alcança mais de cinco meses pelas ruas de Santiago (capital do País) e outras províncias.

Enquanto no Chile, os futuros advogados, engenheiros, empreendedores, jornalistas e afins brigam por melhores condições para si e para os próximos estudantes, lutando contra a polícia e os governantes, impondo condições, fazendo reuniões com os gestores, exportando a indignação para outros países e alimentando o espírito de luta

no Brasil, na considerada melhor universidade do País (em qualidade), onde a disputa por vagas é concorridíssima e os maiores crânios dedicam horas a fio estudando para formar o futuro do Brasil, a Universidade de São Paulo (USP), os estudantes formam trincheiras, invadem prédios, brigam com a polícia, impõem condições… para terem a liberdade de fumarem maconha livres no campus (!).

Há semanas atrás, estudantes da mesma universidade demonstravam preocupação (motivados pelos pais também) pelo crescimento no número de assaltos, tentativas de estupros e até homicídios que aconteceram dentro do campus da USP. Com isso, o Governo ordenou que a Polícia Militar aumentasse o contingente e a atuação no local.

Porém, com isso, óbvio que os militares não estariam ali somente para reprimir criminosos, porém toda e qualquer atitude errada que houvesse ali. Apesar da bandeira de determinados grupos, a maconha continua sendo considerada uma droga ilícita, ou seja, é proibida no País. E, circulando para garantir a segurança dos alunos, a PM teria encontrado alguns alunos consumindo maconha no campus.

Por óbvio (novamente), agiram, reprimindo os graduandos, e foram hostilizados, causando uma guerra campal e a consequente ocupação dos prédios da reitoria e da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH).

Toda e qualquer reivindicação é válida, porém o que este blogueiro questiona é o mérito da questão. A USP pede mais segurança e os alunos querem liberdade para consumir maconha. O governo não cede, mas os estudantes chilenos querem melhorias na educação do País.

Protestos iguais, motivos diferentes… quem será que tem mais razão nessa história? E ainda me perguntam por quê não sou patriota!

Categorias:Textos
  1. 08/11/2011 às 13:12

    Eu não poderia concordar mais!

  2. Eluard Rocha
    09/11/2011 às 15:31

    Infelizmente nosso país luta por causas desnecessárias…enquanto muitos lutam pra entrar na “maior” universidade do país, os que fazem parte dela lutam por direitos que nao condizem com as políticas societais…#absurdobrasileiro

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: