Início > Textos > O que eu vi na Argentina e trouxe para contar – Parte IV

O que eu vi na Argentina e trouxe para contar – Parte IV

Protestos

Aqui em São Paulo, alguns pichadores justificam suas ações como uma forma de protesto, mas na verdade não falam nada, só promovem suas gangues.

Em Buenos Aires não existe isso de sujar muros para promover grupos. Mas as paredes tornam-se murais de protestos, quero dizer protestos mesmo. São espaços para reivindicar melhorias na educação, contra o governo, promover luta por moradias, justiça social. E não é nada feito com uma latinha de spray, são carimbos, bem feitos, para que todos entendam o que está escrito.

Ao invés de rabiscos, protestos...

PS: Ah, as ruas também são utilizadas para isso. Em plena 9 de Julio (a Paulista deles), em cada faixa de pedestres estão escritos diferentes formas de reivindicações.

 

Gracias por la propina

Calma, eles não são caras-de-pau. Propina em castelhano significa gorjeta… mas que é suspeito, é!

Calma, a propina lá é só a gorjeta!

Slogan estranho!

Não sei se vocês terão a mesma visão que eu tive, mas o slogan da Argentina é horroroso! No Brasil, nosso slogan é ‘País rico é país sem pobreza’, o que ressalta a intenção do governo federal de acabar com a miséria por aqui.

Na Argentina, o slogan do governo federal é “Argentina, um país de boa gente” (!).

Por acaso você faria propaganda de um país de má pessoas? Muito mal elaborado...

Minha impressão é que eles estão tentando mudar uma imagem de que o argentino é má pessoa. Ninguém chega e fala: “fica tranquilo, minha casa tem boa gente!”. É esperado que as pessoas sejam de bem, errado é quando elas são más. Enfim… reprovado!

O velho portunhol…

Lá pelas tantas da madrugada, estou eu ‘sapeando’ pelos canais da TV argentina em busca de jogos da NBA (eles transmitem mais jogos do que nós) ou de mais um episódio dos Simpsons (eles são absurdamente mais fanáticos do que nós), quando me deparo com o Fala que eu te Escuto. Isso mesmo, o programa de auto-ajuda da Igreja Universal passa lá também.

Mas vá lá, né… pedidos de oração, testemunhos, e o pastor pregando a Palavra quase que em português! Arranhando um espanhol fraquinho. Bom, a intenção era boa…

 

No próximo e penúltimo post, contarei da maravilhosa experiência que tive no Café Tortoni, o velho preconceito religioso e a falta de ideias práticas dos hermanos…

Categorias:Textos
  1. 25/10/2012 às 18:03

    Así que estuviste en Argentina Yo soy argentina y te digo que ese slogan “Un pais con buena gente” Es mas para nosotros que para los turistas proque vivimos durante le década del 90 el mas crudo individualismo, y estamos tratando, muchos de nosotros de reonstruir el pais
    Saludos

    • Danilo Barra
      26/10/2012 às 14:58

      Hola Miriam, mucho gusto conocerla.
      Para nosotros brasileños, és extraño las palavras. És como se en Argentina no tuvesse personas buenas y el governo quiere que los turistas vean así. Pero yo compreendi, conoco un poquito de la historia de Argentina, my papa vivió por años ahí, pero éres chileno.
      Todavia, quando estuvo ahí, tuvo una impressión mala en la región central, en Buenos Aires, con las personas tratando mal a nosostros como turistas. Pero tambien conoci argentinos muy buenos, que nos hicieram sentirmos muy bien.
      Mucho gusto, saludos de Brasil!

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: